La Notícia

Globo vai tirar Maju Coutinho do Jornal Hoje e fazer outra coisa com ela

O novo diretor de Jornalismo da Globo, Ricardo Villela, tem uma grande missão: orquestrar uma nova dança das cadeiras no setor da emissora.

De acordo com informações do Notícias da TV, grandes nomes como o de Maju Coutinho, César Tralli e Poliana Abritta, farão parte desse planejamento.

Leia também: William Bonner debocha de Bolsonaro ao vivo na Globo e ele rebate: “canalha!”; veja aqui

Os bons índices de audiência de Tralli no comando do Jornal Hoje pesaram na decisão de que o jornalista deve assumir definitivamente a bancada. Já Maju Coutinho, que é substituta oficial de Poliana Abritta no Fantástico, comandaria a revista eletrônica dominical ao lado de Tadeu Schmidt.

Para Poliana, foi oferecida uma vaga de correspondente em Nova York, cargo que ela ocupou por três meses em 2014. A apresentadora teria entendido a oferta como uma promoção, já que a Globo oferece uma série de benefícios e regalias para os profissionais alocados em outros países.

Essas três alterações também provocarão outras mudanças no setor da emissora. A vaga de Tralli no SP1 segue indefinida. Nomes da GloboNews, como Aline Midlej e Marcelo Cosme, agradam a diretoria da Globo e devem ganhar espaço na TV aberta ainda este ano.

No entanto, essa “dança das cadeiras” deverá ser colocada em prática apenas no segundo semestre, no período “pós-pandemia”. A Globo vai promover todas as alterações assim que seus profissionais estiverem devidamente imunizados contra a Covid-19. Como ainda não há um calendário de vacinação no Brasil, o planejamento da emissora segue indefinido.

Leia também: A Globo está fazendo algo que vai deixar Jair Bolsonaro muito irritado; veja o quê aqui

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Polêmicas

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Afonso Melo

Não só os bons índices de audiência de Tralli no comando do Jornal Hoje devem pesar na decisão de que o jornalista deve assumir definitivamente a bancada. Ele passa mais credibilidade do que Maria Júlia Coutinho, que não é uma boa jornalista, nunca deve ter sido repórter, não deve saber redigir e nem apresentar um telejornal. Ela usa muito a primeira pessoa do singular ao narrar, ao chamar os repórteres ao vivo, como por exemplo: “me conta”, mas o que eu quero saber” e outras frases na primeira pessoa, se esquecendo que quem quer saber são os telespectadores e o trabalho de um telejornal é feita por uma equipe e não só ela. E para não falar que é racismo, Zileide Silva, que é repórter especial do Jornal Nacional e apresentadora eventual do Jornal Hoje, é muito melhor do ela, passa credibilidade ao telespectador e é excelente profissional.

Rodrigo Sirkisi

Onde eu assino amigo. Concordo em tudo que vc falou aí encima.