La Notícia

TV aberta aposta no YouTube em busca de maior audiência nas redes

Os canais de TV aberta perderam muito espaço com a popularização dos vídeos online, principalmente nas redes sociais. Plataformas como o YouTube, o Instagram e o Facebook começaram a publicar conteúdo audiovisual e ganharam maior atenção dos brasileiros. Entretanto, para recuperar essa audiência perdida, as emissoras estão começando a usar essas mesmas mídias digitais para brigar por atenção. Uma tarefa que não será nada fácil, mas que oferece mais opções ao público.

Esse é o caso, por exemplo, da Rede Globo. Com quase 4 milhões de inscritos no canal do YouTube, a emissora mais popular do país tem publicado conteúdo na plataforma diariamente, sendo alguns exclusivos. Em julho deste ano, o canal TV Globo transmitiu ao vivo uma conversa entre os artistas Lenine, Martha Gabriel e Vera Iaconelli para a GloboNews. Uma iniciativa que chamou a atenção de quase 2 mil espectadores.

A Record TV, a Band e o SBT estão atuando de maneira semelhante. Todas essas também possuem forte presença no YouTube, e estão focadas na criação de conteúdos para a internet. No caso do SBT, um destaque importante é a atenção especial no Facebook, onde conta com mais de 12 milhões de seguidores. Além disso, a emissora tem alguns vídeos publicados na rede social norte-americana que possuem cerca de 250 mil visualizações. Um sucesso absoluto na internet.

Esse sucesso recente dos vídeos online não é nada exclusivo das emissoras de TV, pois a internet popularizou também a criação desses conteúdos. Atualmente, qualquer pessoa consegue criar algo no formato audiovisual para a internet, principalmente com a ajuda de um editor de vídeo online e gratuito. Com o uso de uma biblioteca de imagens e templates personalizados para usar em todas as redes sociais, desde o YouTube até o TikTok, uma pessoa que nunca gravou um vídeo consegue criar e editar algo de forma profissional.

Retomada da audiência

A ideia de apostar no mundo online é recuperar uma audiência que foi perdida nos últimos 20 anos. Segundo pesquisa realizada pela Kantar Ibope Media, essas duas décadas foram ruins para a TV aberta, que perdeu cerca de 50% da audiência. A TV paga foi a primeira concorrente, mas a internet chegou para ganhar espaço contra todos. Os serviços de streaming, por exemplo, somam milhares de assinantes atualmente no Brasil. Recentemente, a Netflix anunciou que conta com cerca de 18 milhões de usuários por aqui.

Em busca de novas formas de conseguir receita, principalmente com a diminuição da renda vinda de patrocinadores, as TVs abertas estão de olho nos conteúdos para a internet. Uma prova disso é a aposta até mesmo na criação de plataformas de streamings. No início de 2020, a Rede Globo anunciou um projeto para investir cerca de R$ 1 bilhão na Globoplay. A ideia é que a plataforma consiga se destacar entre os fãs de conteúdo online, e brigue por espaço contra algumas outras gigantes, como a Netflix, a Prime Video e a Disney+.

O entretenimento mudou bastante nos últimos anos, e a TV aberta perdeu um espaço considerável com o crescimento da internet. Porém, essas plataformas digitais também se transformaram na principal aposta para que essas emissoras se recuperem com o público. O uso de canais no YouTube, ou em outras redes sociais, é algo essencial atualmente, e até mesmo a TV aberta precisa reconhecer isso. Outro ponto é se atualizar, e aprender a melhor forma de usar essas mídias digitais, algo que não é fácil. Entretanto, se olharmos para as últimas ações, parece que algumas das principais emissoras estão agindo de forma correta.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Polêmicas
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments