La Notícia

Artilheiro e campeão: Tiquinho tenta ser o 6º nos pontos corridos

Após 20 edições no formato por pontos corridos, iniciado em 2003, o Campeonato
Brasileiro viu apenas cinco jogadores (todos eles atacantes) levantarem a taça e a
chuteira de ouro da competição na mesma temporada, sendo três nos últimos seis
anos. Em 2023, a briga pela artilharia se resume a dois nomes e apenas um deles tem
chances reais de também faturar o título.

Com 16 gols, Tiquinho Soares foi o grande nome da campanha quase perfeita do
Botafogo no primeiro turno, viu o time liderar praticamente o campeonato todo e
encabeçou a lista de goleadores durante a maior parte do certame. No entanto, clube e
jogador oscilaram bastante para ver o título ameaçado e ganhar a concorrência de
Paulinho, goleador máximo do Atlético-MG e recém-convocado para a Seleção
Brasileira comandada por Fernando Diniz.

Atualmente com um tento a mais, o atacante do Galo é o principal favorito nas casas de aposta esportiva online para terminar o campeonato na artilharia do Brasileirão, com odds a 1,65, ao passo que o camisa 9 do Fogão oferece 2,85. Correndo por fora, Luis Suárez ainda vê o Grêmio com chances de título, mas com três gols a menos está cotado a 8,00 nessa disputa.

Enquanto Tiquinho Soares segue tentando levar o Botafogo a uma conquista que não
acontece há 28 anos e de quebra balançar as redes mais vezes do que seus rivais
diretos, apenas cinco atacantes figuram neste seleto grupo de campeões e artilheiros
do Brasileirão na mesma temporada.

Adriano (2009)

O primeiro jogador a soltar o grito de campeão e terminar o Campeonato Brasileiro como artilheiro na era dos pontos corridos foi o Imperador Adriano. Em 2009, o ex-atacante da Seleção Brasileira foi fundamental numa das maiores viradas da história dos esportes, na qual o Flamengo arrancou rumo ao título depois de estar a dez pontos de distância do então líder Palmeiras a apenas dez rodadas para o fim da competição.

Com atuações memoráveis dentro e fora do Maracanã, o camisa 10 anotou 19 gols e
terminou a disputa como o principal goleador do torneio ao lado de Diego Tardelli, do
Atlético-MG. A diferença é que o flamenguista disputou 30 partidas, terminando com
média de 0,63 gols por jogo, enquanto o atleticano entrou em campo 33 vezes e teve
uma média de 0,58 bolas na rede.

Fred (2012)

Três anos depois, outro centroavante que disputou a Copa do Mundo de 2006 pelo
Brasil fez história na principal competição do país com uma conquista dupla
defendendo um clube carioca. Desta vez, Fred ajudou o Fluminense a vencer o

Campeonato Brasileiro com seus 20 gols em 28 participações, terminando como
artilheiro isolado e média de 0,71 tentos por partida.

Protagonista em dois títulos nacionais do clube das Laranjeiras, o camisa 9 marcou naquele ano um golaço de voleio, eleito o mais bonito entre clubes brasileiros em votação pública na internet. Ao longo de sua carreira, o ex-atacante ganhou três chuteiras de ouro do Brasileirão, voltando a receber o prêmio em 2014 e 2016.

Jô (2017)

Depois de duas dobradinhas no Rio de Janeiro, o Campeonato Brasileiro dos pontos
corridos viu pela primeira vez o artilheiro e campeão vestir a camisa de um time
paulista somente em 2017. O autor dessa façanha foi o centroavante Jô, um dos heróis
do Corinthians numa campanha histórica na qual os alvinegros passaram todo o
primeiro turno invictos.

Naquela ocasião, o jogador revelado nas categorias de base do próprio Timão, 14 anos
antes, marcou 18 gols em 34 jogos (média de 0,53) e terminou empatado com
Henrique Dourado, do Fluminense, que balançou as redes as mesmas 18 vezes, mas
em 32 partidas (0,56 de média).

Gabigol (2019)

Dono da segunda melhor média de gols entre todos os artilheiros do Brasileirão na era
dos pontos corridos, Gabriel Barbosa foi um dos grandes nomes da inesquecível
campanha do Flamengo comandado pelo português Jorge Jesus em 2019. Foram 25
gols em apenas 28 jogos disputados (0,86 por partida). Apenas Washington, pelo
Athletico-PR em 2004, se saiu melhor, com 34 tentos em 38 participações (média de
0,89).

Hulk (2021)

O último jogador a balançar as redes mais vezes e levantar o troféu de campeão da
Série A foi o atleticano Hulk. Em sua primeira temporada pelo Galo, o atacante marcou
19 gols em 35 rodadas (média de 0,54) e ajudou o clube a sair de uma fila que já
durava 51 anos sem conquistar a competição.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Tags:
Categorias:
Esportes
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments