La Notícia

A Taça Libertadores 2020-21 fica em Brasil

Após o freio forçado em março pela pandemia do coronavírus, o reinício da Copa Libertadores 2020 ocorreu na terça-feira 15 de setembro do ano passado. As quartas de final foram definidas em meados de dezembro.

Já as duas semifinais aconteceram entre 5 e 12 de janeiro. O que deu um toque de cor a essas semifinais é que os quatro times que chegaram à fase foram dois argentinos e dois brasileiros.

Nos jogos de hoje, resta jogar a final, que será disputada no Maracanã no próximo domingo, 30 de janeiro.

River-Palmeiras, a primeira semi

Na primeira chave, o River Plate deu a volta por cima ao derrotar o desconhecido Palmeiras por 0-2, que viu como a equipe argentina dominou do início ao fim. Os gols surgiram no primeiro tempo, e foram obra de Robert Rojas, que infelizmente foi expulso por dupla amarela, e de Rafael Santos Borré, de cabeça. O River Plate há muito merecia a classificação para a final da Copa Libertadores contra um Palmeiras muito morno. Venceu por 2 a 0, depois de cair por 3 a 0 na primeira mão. E que poderia ter eliminado se o VAR não tivesse intervindo para torcer as decisões originais do árbitro uruguaio Esteban Ostojich, que havia validado um gol de Gonzalo Montiel e cobrado de Matías Suárez um pênalti. E aí sim o resultado havia sido depositar ao River no Maracanã.

Os antecedentes da partida eram imbatíveis para os brasileiros inclusive além dos três gols de vantagem com que voltaram ao seu país vindos do Avellaneda, já que dos 11 jogos disputados anteriormente o Palmeiras havia terminado invicto em 7 deles. Mas nunca tinham marcado mais de um gol em 90 minutos. Assim parece injusto para os Milionários, que lutaram até o fim para pelo menos forçar a série aos pênaltis. Fim do sonho para os dirigidos por Marcelo Gallardo.

Boca-Palmeiras, a outra semi

Por outro lado, embora Boca Juniors e Santos tenham chegado com as mesmas opções, após o empate sem gols na primeira mão, o Peixe foi muito superior ao Xeneize e selou sua passagem para a final com uma retumbante vitória por 3-0. Diego Pituca, no primeiro tempo, e Yéferson Soteldo e Lucas Braga, no segundo, condenaram a vitória. E para agravar a situação da visita, tiveram que jogar com um a menos desde o minuto 56, pois o árbitro colombiano Wilmar Roldán expulsou seu compatriota Frank Fabra com um vermelho direto. Fabra estava disputando uma bola com Marinho, e quando o brasileiro caiu no chão, o cafeicultor pisou nele com força e traição no peito.

A alegria será só brasileira

Em suma, enquanto o River Plate não bastou para virar contra o Palmeiras, o Boca Juniors mostrou sua pior face contra o Santos. Por isso, as equipes brasileiras se tornaram as finalistas da Copa Libertadores de 2020. Vamos ver quem vai ganhar o campeonato sul-americano de clubes internacionais. Será o Peixe, que faz parte do seleto grupo de seleções tricampeãs brasileiras,e quer se tornar o primeiro tetracampeão de seu país? Ou será o Verdao, que é um dos dez clubes brasileiros que conquistaram o continente, mas que está no lote dos que mais perderam no final?

O 30 de janeiro no Maracanã, em jogo único, saberemos quem é o campeão. A única coisa que não temos dúvidas é que desta vez, a alegria será só brasileira.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Esportes